Unidade especializada em rendimiento desportivo, bid data e futebol

UNIDADE ESPECIALIZADA EM RENDIMENTO DESPORTIVO, BIG DATA E FUTEBOL

Responsável pela unidade: Javier Sánchez Sánchez

O Grupo IGOID tem aberto uma nova relação com o rendimento desportivo. Nela estão localizados diferentes trabalhos sobre o efeito das superfícies esportivas sobre o desempenho, o uso de dados orientados para verificar diferentes aspectos do desempenho em relação às instalações esportivas e, sobretudo, pesquisas ligadas ao futebol.

Novamente, além das pesquisas e relatórios disponibilizados a todos, atualmente o grupo se destaca por desenvolver um protocolo para a avaliação do desempenho e a prevenção de lesões e também para a valoração do jogador, com base no uso das mais sofisticadas tecnologias e métodos de medição.

O Grupo IGOID oferece aos clubes a possibilidade de solicitar a realização de um protocolo, podendo ser realizado durante uma das sessões de treinamento da equipe em seu lugar habitual.

Este novo protocolo permite avaliar o jogador do ponto de vista do desempenho e prevenção de lesões, o objetivo desta ação é fornecer aos clubes desportivos interessados ​​aconselhamento abrangente sobre o perfil antropométrico, condição física e risco de lesão de seus jogadores.

No protocolo, geralmente, um total de 7 testes são realizados para permitir que o jogador seja totalmente avaliado. Primeiramente, o perfil antropométrico dos participantes é analisado através da impedância bioelétrica e de um estadiômetro, permitindo obter a massa livre de gordura e a massa gorda de cada jogador.

Do ponto de vista da prevenção de lesões, e a partir da análise de tensiomiografia, pode-se fazer uma avaliação muscular (não invasiva), já que é possível medir o deslocamento do ventre muscular em função do tempo, o que é bastante significativo, pois pode estar relacionado ao tônus ​​muscular. Em geral, um deslocamento curto significaria que pode haver muito tônus ​​muscular (isto é, um estado de contração anterior) e, ao contrário, um longo deslocamento poderia indicar que há pouco tônus ​​muscular. Neste protocolo, é realizada uma análise integral da capacidade de contração muscular do bíceps femoral e do reto anterior de ambas as pernas de cada atleta, antes e após a realização de um teste de sprints repetidos (RSA).

Por outro lado, por meio da termografia infravermelha, é possível medir e visualizar com precisão as temperaturas de uma parte do corpo, detectando e registrando as áreas quentes e frias da área estudada como resultado da dissipação de calor dependente do fluxo e do volume sangüíneo circulatório subcutâneo e da atividade metabólica muscular. No campo dos esportes, a análise de temperatura é utilizada na prevenção de lesões, já que um aumento na temperatura pode estar associado à regeneração do tecido muscular. Neste protocolo, a resposta muscular ao exercício dos principais grupos musculares que compõem as extremidades inferiores dos jogadores (quadríceps, isquiotibiais e panturrilha) é examinada por meio de uma câmera termográfica, antes e após a realização do teste RSA.

A capacidade de controlar o desequilíbrio que um jogador tem através de um teste padronizado através de uma plataforma de força portátil também é avaliada. Este teste dura 20 segundos e o principal valor a ter em conta é a distância percorrida pelo centro de pressão (COP), uma vez que foi demonstrado que quanto menor este valor, maior a capacidade de controlar o desequilíbrio. Dessa forma, uma melhor resposta neuromuscular a esse estímulo produzirá uma melhor resposta a mudanças súbitas de direção ou aceleração, saltos e apoios, reduzindo o risco de sofrer uma lesão na extremidade inferior.

Por último, também se estuda a capacidade de resposta física e fisiológica dos jogadores ante diferentes tarefas que demonstraram ter uma influência direta no desempenho do Futsal, através dos equipamentos mais avançados em monitoramento da freqüência cardíaca (firstbeat) e em Análise de desempenho (células fotoelétricas e optojump).

Os testes realizados neste protocolo são: um teste de velocidade (30 m da parada), um teste de agilidade (Teste T), o teste de sprint repetido acima mencionado ou RSA (7 x 30 metros, com 20 segundos de recuperação – entre cada um deles) e um teste de salto (Counter Movement Jump [CMJ]).